O Zahir – Paulo Coelho

Literatura nacional

O livro

Obra do escritor brasileiro Paulo Coelho, O Zahir é uma publicação da editora Rocco. Publicado em 2005, o livro possui em torno de 320 páginas de um gênero romântico e com uma pegada espiritual, inspirado na tradição islâmica e em um conto de Jorge Luís Borges, criando paralelos entre a vida do autor e a vida do protagonista.

Sobre a obra

A narrativa se dá através do personagem protagonista e sãs visões um tanto quanto filosóficas da vida. O protagonista é um escritor famoso por suas publicações sobre o amor e a espiritualidade, do qual não nos é revelado o nome. O escritor é casado com Esther, uma bela mulher, na casa dos 30 anos e jornalista bem sucedida. Os dois estão casados a 10 ano, até que Esther – após voltar de uma de suas viagens de trabalho onde é correspondente de guerra – em um dia como qualquer outro, desaparece, sumindo apenas seu passaporte mais nada, e o motivo deste sumiço vai se revelando conforme o livro vai se desenvolvendo. A passagem de tempo não é muito explicita, mas o autor cita em partes do texto a data ou o tempo, para que possamos entender, e com isso vem o notável desenvolvimento do personagem que não seria possível da noite para o dia – todo o enredo do livro se passa em pouco mais de dois anos.

A história então narra a vida do escritor antes da fama, depois de ter fama, antes de se casar com Esther, durante seu casamento e principalmente depois que a mesma some, tudo de maneira aleatória, como se fosse uma conversa ou um quebra-cabeças, buscando disseminar outras boas histórias, como mitologias, conhecimentos gerais e até filosofia. O título do livro por sua vez, é um meio de definir o que o desaparecimento de sua mulher se torna para este escritor, mostrando a forma obsessiva em que pensa nela.

Zahir então é uma palavra de origem árabe que é traduzida de acordo com a filosofia islâmica como um conceito daquilo que é visível, aparente e exotérico (que se manifesta de modo externo). (Fonte: http://www.significados.combr)

Inspirado na interpretação do conceito de Zahir criada pelo escritor argentino Jorge Luís Borges, Paulo Coelho deu vida a uma história e a um personagem escritor, que em alguns aspectos, se assemelha ao próprio Paulo Coelho.

“algo que uma vez tocado ou visto, jamais é esquecido – e vai ocupando o nosso pensamento até nos levar a loucura.”. (Livro “El Aleph”, 1949 – Jorge Luís Borges).

Minha opinião

Comprei este livro pelo valor de dois reais no verão de 2011, e lembro que não gostei de lê-lo na época – aos quatorze anos não tinha “maturidade” para entender a mensagem da história e assim os fatos e consequências para mim não faziam muito sentido. Este ano como resolvi reler muitos livros, pós sete anos então, eis a releitura de O Zahir, mas sempre que faço uma releitura, a história parece se arrastar demais – na minha opinião considero isto normal pois ler algo que de certa forma te decepcionou inicialmente, do qual você já conhece o final, perde a graça mesmo – entretanto, penso também que da pra prestar mais atenção aos detalhes da história e tirar uma nova impressão mais definitiva sobre a trama toda.

Por isso, ao contrário de antes, considero agora O Zahir como uma boa história. Trata o amor como algo muito além do que uma vida a dois ou declarações, e busca através de certos conceitos religiosos e filosóficos – neste caso do islamismo – trabalhar pontos de reflexão na vida de qualquer ser humano. A exemplo, trago dois trechos:

“[…] liberdade não é a ausência de compromissos, mas a capacidade de escolher – e me comprometer – com o que é melhor para mim.”

“Se eu reajo da maneira com que as pessoas estão esperando que faça, eu me torno escrava delas. É preciso um controle gigantesco para evitar que isso aconteça, porque a tendência é sempre estar pronto para agradar alguém – principalmente a si mesmo.”.

O autor

Paulo Coelho é um escritor, letrista e jornalista brasileiro, nascido no Rio de Janeiro em 1947. Seu trabalho é reconhecido no mundo, tendo seus livros traduzidos em mais de 150 idiomas. É membro da Academia Brasileira de Letras e coleciona diversos prêmios nacionais e internacionais. Sua obra mais famosa, chama-se O Alquimista, sendo autor de outras obras como Brida, As Valkírias, Veronika decide morrer, dentre tantas outras.

Sua opinião

Paulo Coelho tem em seus livros um modo de ver as coisas, e nesta obra este modo está conectado com o lado espiritual do ser humano e sua necessidade de sair da zona de conforto para progredir – segundo trechos do livro. Não é preciso ter lido este livro para saber se portar sobre o assunto, portanto, quero saber, você sabe se está em zona de conforto?

Publicado por

Literalmente Adicto

Viciada em livros, boas histórias, pets e chocolate! Administradora de formação, leitora por amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s