Resenha: Juntos para sempre – W. Bruce Cameron

Continuação do livro “Quatro vidas de um cachorro” sucesso já adaptado aos cinemas.

 

O livro

Continuação da obra Quatro vidas de um cachorro e mantendo o gênero de romance americano, o autor W. Bruce Cameron parte da continuidade da vida de Amigão, após a morte de Ethan no fim do livro anterior. Seguindo o mesmo tom de envolvimento e pensamento do cachorro protagonista, segue-se uma nova história, com mais três vidas e infinitamente ligado a tudo o que já foi contado.

Publicado novamente pela Harper Collins e traduzido por Carolina Caires Coelho, A Dog’s Journey ou Juntos para Sempre na edição brasileira de 2018, possui cerca de 320 páginas e um copyright de 2012, entendendo-se que se esperou que o filme de 2016 baseado no livro anterior, fizesse sucesso para dar continuidade nas publicações – em 2019 já tem previsão de sequência cinematográfica para esta história.

Sobre a obra

Parte-se do que aconteceu após a morte de Ethan. Amigão, um labrador preto, permanece com Hannah, até que sua velhice e um câncer, chega para lavá-lo deste mundo, fazendo o cachorro crer finalmente, que sua missão com o “seu menino” havia chegado ao fim e, portanto, agora ele descansaria. Antes de morrer porém, Amigão convive com Clarity, uma pequena garota (com no máximo 2 anos de idade) neta de Hannah, e da qual o cachorro se sente responsável.

Clarity é uma garota, agora adolescente, bem problemática, com uma mãe que além de não gostar de cachorros, é mais problemática ainda – chamada Glória. O enredo também possui como participante humano, o amigo de Clarity, Trent, ao qual o cachorro gosta muito.

Tendo um apelo mais dramático para o lado humano e não canino da história, todas as vidas do amável cão, giram de um forma ou outra, em torno de Clarity e seus problemas constantes, começando já como “Bigão” – maneira carinhosa como a menina o chamava quando se conheceram na fazenda e ela ainda mal falava.

Na primeira vida após Amigão, tem-se a Molly. Por ser um vira-lata (mistura de Poodle com alguma outra raça desconhecida, porém grande) a cadelinha recém-nascida vai parar aos cuidados de uma senhora que trata s ela e seu irmão até que possam ser adotados. Molly vai parar com Clarity, e seu irmão, com Trent. Nesta vida, o cão descobre os reais perigos que os humanos podem representar e suas inconstâncias.

Em uma morte conturbada, Molly retorna agora como Max, outro vira-lata, de provável mistura entre Chihuahua com York Shire, e novamente está para adoção. A vida de Clarity continua parecendo uma catástrofe, e seu tamanho agora como Max,  não permite cuidar da sua garota como antes, e Max precisa aprender a seguir seu propósito de vida sendo uma miniatura de cachorro brabo.

Por fim, em sua última vida, ele se torna um Beagle chamado Toby. O nome, igual ao dado a ele em sua primeira vida, o remete novamente ao fim de um ciclo, e ao cumprimento de seu propósito como o cachorro bonzinho de Ethan e depois o companheiro fiel de Clarity.

Minha opinião

É uma história tão linda que eu praticamente devorei este livro, lendo-o em 24 horas! O drama envolvendo mais a vida da dona do que a vida do cachorro, não desmerece a atual história ou o enredo anterior, mas trata o aprendizado do cachorro de uma maneira diferente, por exemplo, na primeira trama ele aprendia a amar, sentar e salvar, e agora, toda a complexidade dos problemas, as doenças que afetam as pessoas e os conflituosos sentimentos precisam ser distinguidos para que ele possa ser o cachorro amigo que sua dona precisa.

Um fato que notei ser comum no livro e que divide opiniões na realidade é a eutanásia. A história trata este ato como carinho do dono para com seu animalzinho, como meio de abrandar a passagem do animal e acabar com um sofrimento inevitável. Fora a questão da classificação para os cachorros que estão em abrigos e acabam por ser sacrificados por não serem considerados “adotáveis”.

Com certeza esta duologia entrará na minha lista de livros que mais gostei de ler e certamente também de livros que pretendo reler, apesar do segundo livro (este) me dar a sensação de erros de concordância e pontuações em algumas partes da tradução, que incomodam um pouco a leitura.

Juntos para sempre (2)

 

O autor

Bruce Cameron vive em Los Angeles, Califórnia. É um escritor, colunista e humorista que viu seu trabalho ser rejeitado por muitos anos até que Quatro vidas de um cachorro foi publicado e se manteve dezenove semanas na lista de Best-Sellers do New York Times. Cameron também participou dos bastidores da filmagem do filme inspirado no seu primeiro livro, e tudo indica que nas filmagens desta sequência, sua participação vai se repetir.